Qualidade de vida no trabalho

Por que investir em programas de qualidade de vida no trabalho?

Tempo de leitura: 6 min

Manter a qualidade de vida no trabalho compensa por diversos motivos, tanto para os colaboradores quanto para a organização. A verdade é que a palavra “investimento” é muito bem empregada nesse aspecto, já que a empresa aplica recursos visando trazer muitos benefícios em troca.

Pensando nisso, aqui trataremos mais do assunto, abordando as vantagens de trabalhar com base nesses programas e dando dicas de como implantá-los em seu negócio por meio de medidas simples e estratégicas.

Quer ficar por dentro dessa postura positiva? Venha conosco nesta leitura!

O que são programas de qualidade de vida no trabalho?

Antes de pensar nos programas que incentivam e aumentam a qualidade de vida, precisamos entender o conceito. Atualmente, entendemos a qualidade de vida dentro do ambiente corporativo como muito mais que bons salários e recompensas monetárias: trata-se do grau de satisfação e harmonia.

Tanto da parte da equipe quanto da parte da gestão, o momento de trabalho deve ser uma colaboração para que esses fatores se desenvolvam. A direção precisa pensar em meios de fazer com que as pessoas vivam bem e felizes dentro da empresa. Enquanto isso, tudo o que é aplicado nesse sentido implica bons resultados para a organização.

Nesse sentido, os programas de qualidade de vida no trabalho têm o objetivo de elevar essa satisfação do colaborador, impactando na melhoria do desempenho, bem como edificando relações corporativas saudáveis, que promovem a colaboração entre todos e garantem que tudo esteja em ordem para que a equipe entregue alta performance.

Quais são os benefícios de investir no aumento da qualidade de vida no ambiente corporativo?

O primeiro ponto a considerar é que o investimento em qualidade de vida no trabalho é uma ação estratégica. Sendo assim, ele deve colaborar com os grandes objetivos da empresa, de forma que as vantagens trazidas tornem o negócio ainda mais competitivo.

A implantação de um programa precisa ser planejada, a fim de que sua execução elenque resoluções para as necessidades da empresa. Da mesma forma, o reflexo da adoção desse método na equipe deve ser prático, uma vez que os impactos são percebidos a médio prazo, podendo assim medir a eficiência da ação.

Demonstração de que a empresa se preocupa com o colaborador

Quando a organização se preocupa em implantar um programa de qualidade de vida no trabalho, significa que ela está atenta às necessidades de sua equipe e visa melhorar a experiência do colaborador como membro do negócio.

Atualmente, não é mais aceitável que uma empresa se preocupe apenas com o seu próprio lucro. As relações de trabalho devem ser valorizadas. Assim, quando a pessoa se sente parte do time por ser cuidada pela empresa, fortalece essa cultura organizacional.

Equipe saudável produz mais

Quanto a isso, não há dúvidas: pessoas saudáveis produzem mais. Seja qual for a área de atuação da empresa, para aumentar a produtividade e desenvolver uma equipe de alto desempenho os componentes dela precisam estar bem.

Se você está estressado, cansado, triste e doente, por exemplo, é natural que isso afete a maneira como você se comporta, certo? Da mesma forma, a direção deve fazer tudo o que está ao seu alcance para que a situação não aflija seus colaboradores.

Melhoria significativa do clima organizacional

Se as pessoas estão bem e saudáveis, o trabalho flui com a certeza de que a equipe está trabalhando com o potencial máximo numa empresa que se preocupa com ela e valoriza seu desempenho. As relações interpessoais melhoram entre ela e a liderança.

Além disso, os conflitos podem ser amenizados, enquanto a confiança do colaborador na empresa cresce. Diante disso, é inevitável que o clima organizacional seja favorável. Portanto, se esse aspecto anda prejudicado, programas de qualidade de vida simbolizam também uma solução.

Resultados melhores são obtidos

Pensando mais a fundo na gestão de pessoas: quais motivos as pessoas que trabalham na sua empresa têm para dar tudo de si em suas atuações? Quando o indivíduo se sente valorizado, o engajamento cresce.

Já está claro que dinheiro é essencial, mas não é tudo: o aspecto social é muito valioso. Cuidar do colaborador e preocupar-se com ele é uma forma de reconhecê-lo como importante. A pirâmide de Maslow pode confirmar essa necessidade.

Quando há, de fato, uma relação entre as partes, ambas se comprometem em nutri-la. A empresa faz a parte dela, alimentando os programas de qualidade de vida no trabalho, enquanto o colaborador responde naturalmente, trabalhando melhor. Os resultados aparecem no padrão de qualidade e nos números da organização.

Diminuição de custos com absenteísmo e turnover

O óbvio não pode ser dispensado: pessoas doentes não conseguem trabalhar, enquanto gente insatisfeita não trabalha bem. Além disso, uma empresa que deseja ou permite que um colaborador que não está saudável se mantenha assim não merece ser levada a sério.

Gestões que sofrem com altos ou moderados níveis de absenteísmo e turnover deve analisar seriamente como implantar um programa de qualidade de vida no trabalho, a fim de reduzir os custos com esses problemas e manter a empresa competitiva.

Auxílio na retenção de talentos

A retenção de talentos é um desafio contemporâneo. Ele pode ser dissolvido uma vez que o ambiente da empresa é sadio. Com a equipe saudável obtendo bom desempenho, os talentos logo aparecem.

Se o ambiente corporativo é positivo — a empresa oferece motivos de sobra para que alguém queira trabalhar nela —, esses talentos tendem a desenvolver-se e manter-se dentro dele. Contando com a atuação deles, a organização se torna excelente e se posiciona no mercado com eficiência.

Como implantar essa estratégia na empresa?

Antes de qualquer coisa, a gestão precisa planejar. A promoção desse tipo de estratégia pede diversos cuidados para que seja efetiva e não apenas um gasto de recurso numa aplicação teórica.

Pergunte-se: o que pode melhorar a experiência do indivíduo que trabalha em prol desse negócio? Desde treinamentos até o desenvolvimento de carreira, bonificações — não apenas monetárias —, programas de nutrição, promoção de sessões de massoterapia, pausas para alongamentos, enfim.

Veja quais são os aspectos que precisam de melhoria, quais impactos essa implantação vai trazer para a organização e para os colaboradores. Uma vez que os programas de qualidade de vida no trabalho são bem empregados, os resultados são certos.

O mais importante é que essa ação seja tomada de maneira que a organização seja contemplada numa dimensão administrativa, abrangendo os maiores objetivos do negócio e atuando operacionalmente no cotidiano da empresa.

Para isso, é essencial contar com uma empresa especializada nesse processo, portanto entre em contato conosco e saiba como podemos auxiliar!

Medida Saúde

Qualidade de vida no ambiente corporativo. A maior plataforma para acompanhamento da saúde dos colaboradores do Brasil.