Recursos Humanos

Aprenda já como potencializar a retenção de talentos da sua empresa

Tempo de leitura: 3 min

A retenção de talentos é mais que uma tendência para os recursos humanos. Essa estratégia é uma forma de cuidar da equipe, consequentemente prezando pelos resultados do negócio, bem como por sua identidade e posicionamento de mercado.

Diante desse cenário, é de suma importância que a gestão se oriente para alinhar essa postura da melhor forma possível, a fim de obter colaboradores satisfeitos e de alto desempenho, além de alcançar os objetivos do empreendimento.

Quer saber mais sobre o assunto? Venha conosco na leitura de hoje e se inteire sobre as boas ações a respeito!

O que é retenção de talentos?

A retenção de talentos consiste no conjunto de políticas e aplicações empregadas na empresa, para que os talentos que se encontram nela continuem desempenhando suas funções na organização, ou seja, ela visa manter colaboradores de alta performance.

Muito se ouve sobre a captação de talentos. É claro que trazer as melhores pessoas para trabalhar em prol da organização é importante, mas é essencial não se ater apenas a essas conquistas, cuidando também da equipe que já está em operação.

Ainda que o planejamento estratégico seja excelente, nenhum negócio roda sem que a linha de frente saiba executar seu trabalho com eficiência. Portanto, isso vale para todos os setores da empresa e não apenas para os cargos de liderança e diretoria.

De que forma a gestão deve trabalhar esse aspecto?

Antes de pensarmos em potencializar a prática, o primeiro passo é — caso ela ainda não seja ativa — implantá-la. Sendo assim, é preciso analisar o perfil dos colaboradores, sendo assim capaz de apurar o que tem mais valor para eles.

Uma vez que a empresa é capaz de ofertar valor à experiência do trabalhador, as chances de retenção são altíssimas. Dito isso, vamos a 3 dicas para praticar a retenção de talentos na organização. Veja!

1. Foco na qualidade de vida

Qualidade de vida é uma característica muito valorizada pelos colaboradores atualmente. As pessoas não querem mais estar numa empresa que apenas pague o salário, mas também que as entenda como indivíduos, cuidando disso.

Assim, a segurança e saúde no trabalho, bem como a manutenção do clima organizacional para que a equipe trabalhe em harmonia em um ambiente leve são fatores básicos e cruciais para que os talentos queiram estar na organização!

2. Preocupação com o desenvolvimento

A evolução é outro ponto importante. Ter acesso a mais conhecimentos da área, ganhar mais, subir de cargo, enfrentar novos desafios, enfim. A empresa precisa demonstrar que se preocupa com seus colaboradores e que dentro dela há chance de crescimento.

Nesse sentido, os treinamentos e o plano de carreira colaboram com esse propósito. Ao identificar um talento, a gestão precisa pensar em como a alta performance daquela pessoa pode ser desenvolvida, a fim de aproveitar cada vez mais as habilidades.

3. Relacionamento com a equipe

Conhecer seu time, acompanhar o desempenho, medir e dar feedbacks constantes é essencial. O ser humano é social e sentir que a o local onde ele aplicar parte de suas competências o acolhe e se preocupa com ele faz toda a diferença.

Dessa forma, incentive a sua equipe e mantenha um relacionamento próximo. Mesmo nas empresas de grande porte, a divisão por departamentos, a automação das tarefas e os relatórios de desempenho podem possibilitar um acompanhamento via indicadores.

Quando o colaborador sente que a organização vê ele e o trata como parte, cuidando e prezando pelo seu bem-estar, a retenção de talentos é um caminho óbvio, afinal, quem não gostaria de estar em uma empresa que reconhece, recompensa e cuida de seu pessoal?

Há diversos métodos de melhorar a relação entre o RH e a equipe. Para saber mais sobre o assunto, leia esse post sobre as ferramentas que estão revolucionando o setor!

Medida Saúde

Qualidade de vida no ambiente corporativo. A maior plataforma para acompanhamento da saúde dos colaboradores do Brasil.