Recursos Humanos

Saiba quais ferramentas de RH estão revolucionando as empresas!

Tempo de leitura: 6 min

Os Recursos Humanos foram ignorados durante bastante tempo nas teorias da administração. Isso mudou quando se percebeu que uma empresa não é formada apenas de processos e tarefas, mas que por trás de todo esse desempenho há a força trabalhadora, que é formada por indivíduos com necessidades, motivações e vontades próprias. Assim, para auxiliar essa gestão, nasce a demanda por ferramentas de RH.

A administração evoluiu com a chegada da Escola das Relações Humanas. Isso vem fazendo progressão ao longo dos anos, já que conforme as organizações inovam e crescem, o setor deve acompanhar, fazendo jus a todo o desenvolvimento e movimento que está sempre acontecendo no mercado. Cuidar dos colaboradores significa cuidar da saúde da empresa. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura!

As ferramentas de RH

Ao pensar em ferramentas de RH, devemos dar foco às tendências. Com a chegada da tecnologia e das novas gerações nos ambientes de trabalho, percebemos uma constante transformação no que diz respeito à gestão de pessoas. Nesse sentido, é preciso usar de metodologias e métodos que levem a resultados consistentes.

Caso o Recursos Humanos não seja renovado, a empresa vai ficar para trás, desalinhando o desempenho dos colaboradores. Isso pode gerar uma desvantagem competitiva, que por sua vez leva a estratégia ao fracasso. Sendo assim, é essencial ficar atento no que o mercado apresenta como eficiente, direcionando o setor para essas boas práticas.

Gestão de perfil comportamental

As pessoas estão cada vez mais procurando empresas que colaborem com o propósito de vida delas. O trabalho passa a não ser mais uma obrigação, tornando-se parte fundamental para a realização pessoal.

Avaliando esse cenário, é necessário pensar o recrutamento e a seleção de forma que os objetivos da organização sejam possíveis. O fit cultural deve ser considerado, desde a procura por candidatos até o processo de seleção e contratação.

Um gestor de RH precisa ter em mente os principais tipos psicológicos, buscando encaixar as habilidades e competências mais adequadas em cada posição. Colaborador e empresa precisam se identificar, possuindo valores semelhantes.

Abertura para dar e receber feedbacks

Com os modelos horizontais de organização cada vez mais em alta, estruturas menos engessadas tendem a usar essa flexibilidade em prol do crescimento. Essa posição das empresas bem situadas no mercado vem trazendo também um direcionamento para todos os gestores que desejam o sucesso: a comunicação é essencial.

A gestão precisa estar aberta não apenas para dar feedbacks, mas também para recebê-los (por isso citamos a estrutura horizontal). Não devemos pensar mais a equipe como empregados que recebem ordens e sim como indivíduos que compõem uma organização, possuindo papel ativo nela.

Sendo assim, preocupe-se com a existência desse espaço, em que o time possa se expressar em relação à alta cúpula, enquanto os feedbacks dados para o colaborador também são direcionados ao aprimoramento e crescimento profissional dele.

A empresa precisa ter um posicionamento proativo em relação ao desenvolvimento das pessoas. Há conceitos como o Feedback 360º que podem ser aplicados a fim de otimizar esse processo.

Retenção de talentos

Falando em desenvolver pessoas, não podemos deixar de fora um grande desafio que o RH encontra atualmente: reter os talentos. Como dissemos, as novas gerações têm um olhar diferente para as empresas — elas não simbolizam a vida deles, mas sim um estágio em que elas podem se desenvolver e, caso haja uma oportunidade maior, pulam para a próxima etapa.

Por isso, o negócio precisa ter um plano consistente para que esses talentos tenham motivo para continuar na empresa. Preocupar-se com o desenvolvimento deles é um dos passos.

Treinamentos, plano de carreira, acompanhamento constante por um tutor mais experiente da empresa, programas para destacar lideranças, enfim, tudo pode ser considerado.

Plataforma de saúde

Se o trabalho é um dos pilares da vida de uma pessoa, ela espera reconhecimento por parte da empresa e isso pode ser expressado quando a gestão implanta ações que demonstram preocupação com a qualidade de vida dela. Nesse contexto, essa ferramenta auxilia que o gestor se aproxime da equipe.

É mais simples do que parece: em uma empresa cuja equipe é muito grande, por exemplo, pode ser difícil dar atenção a cada colaborador, sabendo da situação dele e cuidando disso. Imagine que um sistema possa criar métricas que apontem quando riscos associados à saúde de alguém do time aparecem. É disso que se trata!

Essa é uma forma de manter a gestão próxima à vida do colaborador, acompanhando o seu desempenho e sua integridade física e intelectual. À medida que problemas de saúde ameaçam aparecer, a gestão pode se adiantar, evitando que a equipe sofra perdas e prejuízos. Em grande escala, essa ação faz toda a diferença nos resultados.

Benefícios desse controle

Muitos gestores ficam extremamente preocupados com diversos pontos complicados de melhoria e esquecem de observar o que está bem diante de seus narizes: é muito melhor prevenir do que remediar. Então, por mais que a empresa dê cobertura para quaisquer problemas futuros, a decisão mais estratégica é evitar que essas situações aconteçam.

O uso da plataforma de saúde traz essa vantagem: quando a empresa garante que o colaborador está saudável fisicamente e mentalmente, custos com planos de saúde, faltas, afastamentos e turnover também são evitados. Uma equipe satisfeita é mais produtiva, aumentando a qualidade do serviço e evitando erros, retrabalhos e problemas.

Isso faz com que dinheiro seja economizado — havendo possibilidade de aplicá-lo em outros pontos —, mantendo a boa gestão de pessoas. Lembre que gerir bem é ser eficiente, tirando o maior aproveitamento do mínimo investimento de recursos.

As ferramentas de RH são valiosas quando usadas estrategicamente, mantendo a gestão sempre um passo à frente nas ações que cuidam de um dos pilares da organização: as pessoas. Sentir essa plenitude no trabalho é o combustível que move profissionais engajados. Agir em prol desse posicionamento é garantir o sucesso do negócio!

A sua administração se preocupa com os colaboradores? Como o empreendimento demonstra isso? Você gostaria de se aproximar mais da sua equipe e cuidar da saúde dos colaboradores? Entre em contato conosco para saber como essa solução estratégica pode fazer parte da sua gestão e potencializar os resultados da empresa!

Medida Saúde

Qualidade de vida no ambiente corporativo. A maior plataforma para acompanhamento da saúde dos colaboradores do Brasil.